Poemas Tentados

13/ 02 /2024

Berros

Os bêbados da minha terra

caminhavam retorcidos

por linhas retas,

beijavam as sarjetas

no desovar de cervejas,

citavam provérbios,

repetiam frases proféticas;

os bêbados da minha terra,

vezes eram filósofos e poetas,

tinham chapéu e camiseta

ou ficavam só de sutiã ou cueca,

dormiam nas calçadas,

choravam nas muretas,

beijavam os passantes,

alegravam a cidade,

equilibravam-se na ebriedade;

os bêbados da minha terra,

faziam arruaça nos bares,

proferiam palavrões,

prosseguiam em procissões

pelas ruas em ziguezague;

os bêbados da minha terra

aos repetidos berros praguejavam,

mas também Cristo anunciavam.

categoria: Poemas Tentados
03/ 02 /2024

Reiteração

Posso sumir

posso desandar

posso seguir

mas não te esqueço

posso tropeçar

posso pular

posso migrar

entrar em qualquer empeço

cair por qualquer tropeço

mas não te esqueço

porque és permanência

contentamento

que me leva ao fim

e me traz de volta

ao recomeço.

categoria: Poemas Tentados
31/ 01 /2024

Querer ser

Eu quero ser o que sou

a cada dia melhorado

mas o que é o melhor

você me perguntaria

se sou o que sofro

a cada erro intentado

a cada dúvida tirada

quero ser o que sou

de cada outro aproximado

no abafar da sabedoria

eu quero ser o que sou

que de meu outro morreria

para dar lugar ao meu eu

consumado sem covardia

na casca da lua vivenciada

de experiência embebido

eu quero ser o outro eu

entranhado sem ser invasor

o pior de mim não viria

eu quero ser o que sou.

categoria: Poemas Tentados
21/ 01 /2024

Desarmas

Este intento perverso se arma e destrói,

esta corrente de verso arrebenta e dói,

este pulso imerso, obtuso, transverso,

se rala, machuca, ensanguenta e mói.

categoria: Poemas Tentados
21/ 01 /2024

A noite serve

A noite serve

para delírios

lírios

cílios

nas ilhas

pilhas

de filhas

da ilusão;

a noite serve

para espíritos

ritos

gritos

atritos

devaneio

de aflito

no agito

de um

corpo

para lábios

vermelhos

do espelhar

em imitação

que amealha

a centelha

da verve

que ferve

enerva

a febre

dalguma

breve

espuma

da bruma

que faz

aprumar

desacordando

a solidão.

categoria: Poemas Tentados
21/ 01 /2024

A tarde já não é

A tarde que entra de repente

já não é mais uma criança;

embora já esteja gasta

é uma adulta exuberante

de cabelos anuviados

ou brilhos ensolarados;

a tarde é passe de mágica,

encanta e desencanta,

não é dama da noite,

mas é vulto passageiro

da alegria que se abranda

se reborda, transporta, transborda

no alvo já ativo

depois da traquina manhã

antes do levitar da boemia tardia.

categoria: Poemas Tentados
14/ 01 /2024

Tempos Áureos

Naqueles tempos áureos

em que apanhaste muito

em que perdeste guerras

em que passaste vergonha

em que não havia amparo,

foram tentos consumidos;

no escuro ficou claro

que devias seguir lutando

contra covardias e bravezas

contra maus presságios

contra fortes em fortalezas;

reforçar tuas fraquezas

no remediar das surras

tantas que sentaste tonto

para agulhar os pontos;

se aos poucos resististe

saiba olhar para trás

e ver que evoluíste;

seria o consolo

de derrotas muitas;

lições imprescindíveis

recursos precários

que transformaram

tempos solitários

em tempos áureos.

categoria: Poemas Tentados
14/ 01 /2024

Renovo

Tempo de espora

tempo de espera

quero ir embora

para renovada Era.

categoria: Poemas Tentados
14/ 01 /2024

Meu Olhar

Meu olhar incompleto

com todo talo

com todo o manto

por todo instante

que parei,

meu olhar incompleto

de todo errante

em bárbaro sinérgico

por entre tártaros

no meio do atlântico

que esbaforei

por eixo tântrico

que gamei

com muito cânfora

que dispersei

em pouca quântica

que inalei,

meu olhar incompleto

repleto de nuances

que babei

desértico

intrépido

que desatinei

com três encantos

por onde me completei.

categoria: Poemas Tentados
29/ 10 /2023

Encontro

Longe de tudo

perto de mim

a hora se vai

eu me lanço

e desenlaço

no enclaustro

do balanço

a seguir sem pressa

a rugir ao longo

a emergir no largo

estreito de mim

no riacho a água

corrente do abrandar

evasivo rubro.

categoria: Poemas Tentados