Poemas Tentados - Quando minha voz parar

07/ 06 /2020

Quando minha voz parar

Quando minha voz parar

quero prostrar-me lá no céu,

quando este corpo ceder

quero ainda dizer adeus.

Quem não me reconhecer

poderá saber que sairei daqui

nos olhos de um pássaro subindo ao céu.

Quando este sangue esfriar

montarei lá em cima meu ofício;

quando os bichos vierem aqui me aliviar,

meu corpo não será mais meu,

não me importo em me doar,

alguma parte de mim

poderá ir para Deus, quiçá:

a dos vícios e dos sacrifícios,

da ignorância e da miseração,

da resiliência e da calma,

a parte que tenta e acredita

na fórmula leniente contra fraqueza d’alma,

eu, velho rejuvenescido,

estarei em meu ofício,

lá embaixo no céu.

 

categoria: Poemas Tentados